Num quarto estranho

19 de janeiro de 2011 § Deixe um comentário

Num quarto estranho, você tem de se esvaziar antes de dormir. E, antes de ficar vazio para dormir, o que é você? E quando se esvazia para dormir, você não é. E quando está preenchido pelo sono, nunca foi.” (tradução livre)

In a Strange Room, de Damon Galgut (autor de O Bom Médico, publicado no Brasil pela Companhia das Letras) é uma narrativa ontológica sobre encontros, deslocamentos e alteridades. Três relatos de viagem que se alternam entre a terceira e a primeira pessoa, em que o viajante assume três papéis distintos (as três novellas em que se divide a obra): o Seguidor, o Amante e o Guardião.
No livro, estar em trânsito nem sempre indica um estado de suspensão da realidade – a viagem é a realidade, a casa, onde tudo se transforma sem se chegar a lugar algum. O deslocamento pode ser cartático; um quarto estranho, a constante – tornamo-nos o caminho? Deixamos parte do que somos para trás, em lugares que ignoram e desintegram os nossos vestígios?
Entrou para a minha lista de livros favoritos, adoraria traduzi-lo.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

O que é isso?

Você está lendo no momento Num quarto estranho no O Pequeno Livro do Exílio.

Meta

%d blogueiros gostam disto: