Places

26 de julho de 2013 § Deixe um comentário

“Perhaps it’s that you can’t go back in time, but you can return to the scenes of a love, of a crime, of happiness, and of a fatal decision; the places are what remain, are what you can possess, are what is immortal. They become the tangible landscape of memory, the places that made you, and in some way you too become them.”
― Rebecca Solnit, A Field Guide to Getting Lost

“Talvez seja não conseguir voltar no tempo, mas poder retornar às cenas de um amor, de um crime, de felicidade, de uma decisão fatal; os lugares são o que resta, o que você pode possuir, são o que é imortal. Eles se tornam a paisagem tangível da memória, os lugares que nos moldaram, e, de certa forma, você também se torna os lugares.” (tradução livre)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

O que é isso?

Você está lendo no momento Places no O Pequeno Livro do Exílio.

Meta

%d blogueiros gostam disto: